Esquema de um biodigestor do Instituto IDDEIA.

O biodigestor produz biogás e biofertilizante a partir da decomposição anaeróbica dos resíduos orgânicos domésticos e rurais. A produção do biogás se dá através de processos microbiológicos na ausência de oxigênio, onde a decomposição do substrato resulta na formação de gás metano (CH4), dióxido de carbono (CO2) e vapor de água (H2O).

A produção diária de biogás e biofertilizante varia com o tamanho do biodigestor, podendo chegar até 5 m3 de biogás e 1 tonelada de biofertilizante diários.

O refugo do biodigestor é um fertilizante de baixa acidez, rico em nitrogênio na forma de amônia (NH3), além de outros elementos necessários às plantas, como enxofre (S), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg), ferro (Fe), cobre (Cu), zinco (Zn) e molibdênio (Mo). O biofertilizante não tem cheiro forte, não atrai moscas e é isento de ervas daninhas e patógenos.

O biodigestor do Instituto IDDEIA é fabricado com resina isoftálica e manta de vidro, material de alta durabilidade e é de fácil manuseio, dispensa mão de obra especializada.

A grande importância do projeto se dá ao melhorar a economia e o IDH dos beneficiários, devido ao uso do biogás como fonte de energia substituta ao gás liquefeito de petróleo (GLP), à lenha e ao fertilizante químico utilizado pelo produtor. O biofertilizante gerado pelo processo poderá ser comrcializado.

O projeto também possibilitará um grande avanço ambiental e contará com cursos de curta duração de Educação Ambiental, com modelos práticos em funcionamento. Conteúdos de Ciências Exatas, Ambientais e Humanas relacionados com as atividades do projeto serão lecionadas de maneira simples à comunidade rural.